Na raça, Tricolor vence o Juventus em Jaraguá

Jogadores comemoram o primeiro gol, de Gilson. Foto: Rafael Nunes/CFC

Jogadores comemoram o primeiro gol, de Gilson. Foto: Rafael Nunes/CFC

Fora de casa, no campo pesado e com os percalços de sempre. O Tricolor foi a Jaraguá do Sul na tarde deste domingo, dia 17, e precisou passar por vários obstáculos para, na raça, conquistar a vitória por 3×1 e se manter vivo no Catarinense 2013. Gilson e Monga, duas vezes, marcaram os gols do triunfo tricolor no estádio João Marcatto.

Com o resultado, a Cambura chega aos três pontos no returno e dez na classificação geral. Na quarta-feira, dia 20, o Camboriú recebe o Guarani, no Robertão, às 20h30min.

O jogo

O Tricolor, que tinha em campo o estreante Baiano, lateral direito, iniciou a partida comandando as ações. Logo aos 4 minutos, em jogada trabalhada, a bola sobrou para Gilson, dentro da área. O lateral encheu o pé para abrir o placar e marcar o segundo dele com a camisa Tricolor: 1×0. O gol, porém, pareceu ter acordado o adversário. O Juventus cresceu no jogo e, aos 24 minutos, Gesiel derrubou Max na área. Pênalti, que o próprio Max  cobrou para empatar.

Aos 30, Anderson bateu forte, cruzado e quase marcou o segundo. Na sequência, porém, Willian Feijó entrou na área e foi derrubado. O árbitro Ronan Marques da Rosa não só não entendeu a jogada como pênalti como também advertiu o jogador alegando simulação. Como já tinha cartão amarelo, o camisa 7 da Cambura acabou expulso.

No segundo tempo, o Camboriú voltou sem mudanças. O que mudou a partida foi um lance aos 8 minutos. Gregory, do Juventus, parou um contra-ataque com falta e levou o segundo cartão amarelo, deixando o time da casa também com dez jogadores. A partir dali, o Tricolor voltou a ter o domínio do jogo e começou a criar chances de marcar.

Aos 12, o técnico Claudemir Sturion tirou Edinho e promoveu a entrada de Monga. A decisão surtiu efeito 13 minutos depois. Gilson fez boa jogada pela esquerda e cruzou. O gigante de 1,93m, na área, cabeceou sem chances para o goleiro adversário. 2×1 e comemoração com direito a pose para foto.

Aos 31, Monga teve mais uma oportunidade. De frente para o gol, ele bateu por cima, para fora. Aos 37, no entanto, o atacante se redimiu. Da entrada da área, ele bateu colocado, com muita categoria, sem chances para o goleiro: 3×1 Cambura.

Ainda deu tempo para Monga ser derrubado na área. Pênalti não marcado, que acabou por fazer com que o atacante deixasse o campo, machucado. Como já havia feito as três alterações, Claudemir Sturion viu o Camboriú terminar o jogo com nove homens em campo. Mesmo assim, não havia tempo para mais nada. Fim de jogo: Juventus 1, Camboriú 3.

Camboriú: Gabriel, Gesiel, Jessé, Neris; Baiano, Willian Feijó, Ramon, Geninho (Diego Jardel), Gilson; Edinho (Monga) e Anderson (Piccinini).

Anúncios

Sobre camboriufc

Clube de futebol profissional de Santa Catarina.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.