Prejudicado, Camboriú perde em casa

Arquibancadas do Robertão ficaram lotadas neste domingo. Foto: Rafael Nunes/CFC

Arquibancadas do Robertão ficaram lotadas neste domingo. Foto: Rafael Nunes/CFC

O sol forte de domingo e os desfalques no setor ofensivo, além da qualidade da equipe da Chapecoense, já seriam adversários de peso para o Camboriú no duelo contra a líder do Campeonato Catarinense, na tarde de ontem, dia 17, no Robertão. No entanto, mais um fator impediu que a equipe saísse de campo com um resultado positivo. Com dois pênaltis não marcados a seu favor, além da expulsão de dois jogadores e do treinador Claudemir Sturion, o Tricolor foi prejudicado pela arbitragem e perdeu por 3×0 para o time do Oeste. Galhardo, Rodrigo Gral e Athos marcaram para os visitantes.

Com o resultado, a Cambura segue com seis pontos, agora na nona colocação no estadual. O Tricolor volta a campo no domingo, dia 24, quando visita o Atlético Ibirama no estádio Hermann Aichinger, às 16 horas.

O jogo

Felipe Ribeiro e Rodrigão foram derrubados no mesmo lance, mas árbitro mandou seguir. Foto: Rafael Nunes/CFC

Felipe Ribeiro e Rodrigão foram derrubados no mesmo lance, mas árbitro mandou seguir. Foto: Rafael Nunes/CFC

A partida começou em ritmo lento devido ao forte calor presente no estádio Robertão. Com as arquibancadas lotadas, as duas equipes não criaram muitas chances de gol na primeira etapa. As oportunidades só começaram a aparecer após o tempo técnico. Aos 33 minutos, o primeiro lance polêmico. Na mesma jogada, o atacante Felipe Ribeiro e o zagueiro Rodrigão foram agarrados e derrubados na área. Jogadores, comissão técnica e torcida reclamaram pênalti, mas o árbitro Jefferson Schmidt mandou o lance seguir.

Minutos depois, Galhardo foi lançado. Ele parou a marcação de Gilson com um tapa no rosto do defensor do Camboriú, mas a arbitragem ignorou o lance. Na sequência, o jogador da Chape tentou cruzar e acabou fazendo um golaço, abrindo o placar para a Chapecoense.

Ainda na primeira etapa, o Camboriú teve chances de empatar. Aos 42, Ramon arriscou de longe e por pouco não marcou. Já nos acréscimos, Gilson cobrou falta com categoria, mas a bola bateu na trave e foi para fora.

O Camboriú voltou sem alterações para o segundo tempo e seguiu buscando o empate. Antes dos dez minutos, Gilson cruzou e Anderson, por pouco, não alcançou a bola. Aos 8, Felipe Ribeiro cabeceou com perigo, mas Nivaldo fez boa defesa. Antes dos 20 minutos, o Tricolor ainda criou boas chances com Victor Hugo, que chutou para fora, e Rodrigão, que cabeceou pela linha de fundo.

Zagueiro da Chape tirou cruzamento com a mão. Árbitro marcou o pênalti, mas voltou atrás. Foto: Rafael Nunes/CFC

Zagueiro da Chape tirou cruzamento com a mão. Árbitro marcou o pênalti, mas voltou atrás. Foto: Rafael Nunes/CFC

Aos 25 minutos, após cobrança de escanteio, Rodrigo Gral fez o segundo da Chapecoense. Seis minutos depois, no entanto, mais um lance que poderia ter mudado a história do jogo. Diego Bruno, que acabara de entrar, tentou cruzamento, mas o zagueiro da Chapecoense interceptou a jogada com a mão. O árbitro Jefferson Schmidt marcou o pênalti e deu cartão amarelo para o jogador da Chape. No entanto, o assistente chamou o árbitro, que voltou atrás na decisão e deu posse de bola para os visitantes, revoltando a torcida presente no Robertão.

O lance desestabilizou a partida. A partir daí, o que se viu foram inúmeras confusões e muitas expulsões. Depois de já ter expulsado o treinador Claudemir Sturion, Schmidt mostrou o cartão vermelho para Anderson e William Dorneles, do Camboriú, e André Paulino e Fabinho Alves, da Chapecoense. Nos acréscimos, Athos ainda marcou o terceiro dos visitantes.

Camboriú: Gabriel, Rodrigão, Carlão, Neris; Pereira, Willian Feijó (William Dorneles), Ramon, Victor Hugo (Diego Bruno), Gilson; Anderson e Felipe Ribeiro (Alexandre Piccinini). Téc.: Claudemir Sturion.

Anúncios

Sobre camboriufc

Clube de futebol profissional de Santa Catarina.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.